3º capítulo | Aktive |

Brunei e Aktive começam a lutar e no começo parece certo e fácil que o bruxo mal será derrotado.
Aktive ganha confiança em cada golpe ou gesto que faz, mas Brunei é mais esperto e experiente.
Assim que percebe ele baixando a guarda, o desfere um contrafeitiço que o joga no chão.
Aktive, fica um pouco tonto e ele dispara um segundo ataque antes que o bruxo possa se levantar, o que o deixa ainda mais vulnerável.
Wanessa então se desespera ao ver o amado se ferindo.
K tenta segura-la.
Sharon fala para ela que Aktive iria perder a luta, isso se não fosse morto no processo.
Brunei quando começava a vencer, era impossível para-lo.
Ele só parava ao ver o oponente morto.

É isso que ele parece fazer, desferindo feitiços e mais feitiços de luta em Aktive, o impedindo se recuperar ou se quer sair do chão.
Brunei se aproxima e diz a Aktive, que aquilo agora lhe pertencia, o tirando a caneta reguladora das mãos.
A armadura é desativada.
“Agora o feitiço de misericórdia, o que vai o aniquilar para sempre.”
“Espere!” Grita K.
“Ninguém aqui tem que morrer esta noite.
Nós fizemos um acordo com você, o livro ou a caneta.
Quem vencesse ficava com o objeto do outro, não dissemos nada sobre matar ou morrer.”
Brunei atira um feitiço em K repentinamente que o leva a mais ou menos 5 metros deles, o estatelando no chão e deixando o diretor ferido.
“Eu nunca disse que ia deixa-los sair daqui com vida, seu idiota.
E como atravessou o meu caminho, vai receber a maldição de morte primeiro.”
“Maldição de morte?” pergunta Wanessa.
E Sharon a explica.
“Há um feitiço que é instantâneo, mata na hora e nada pode impedir que a pessoa escape dele.
É esse feitiço que o meu irmão vai usar em cada um de nós, agora.”
“Aktive, Aktive!” grita Wanessa, na esperança de que seu herói pudesse levantar para salva-la.
Nada acontece.
Brunei prepara sua mão com o anel apontado a direção em que está K.
Wanessa corre para o lado de Aktive.
“Não pode acabar assim, não agora, não desse jeito.
Não antes de lhe dizer o quanto eu te amo, e as coisas que quero fazer com você”, fala ela enquanto acarinha o rosto de Aktive.
Ele abre os olhos, ainda um pouco atordoado, tonto.
“Eu sinto muito, perdi”, fala com a voz muito fraca.
“Ele era mais experiente e muito mais astuto, queria fazer o certo mas é um primeiroanista.
Nem eu, que estou no terceiro ano, saberia como derrota-lo.
Nem K, pode me parecer conseguir.”
Aktive, faz uma expressão de tristeza, e Sharon se aproxima deles.
“Todos nós vamos morrer aqui esta noite, nada a se fazer agora.
Ao menos poderíamos cantar, seria uma morte menos traumática.
Sabem cantar algo do Brasil?”
“Sim sim, eu sei uma música.
Embora seja tímida demais para canta-la agora.” Responde Wanessa.
“Por que não canta? Podem ser nossas últimas palavras mesmo”, Repete Sharon.
Wanessa se levanta, aos pés de Aktive, e fixa seus olhos nele.
“Para começar um beijo,
ele vai para sempre me amar, é assim que vai ser.
Sei que ele está por aí, esperando eu aparecer,
louco para me conhecer.
O seu nome eu não sei,
eu me lembro que sonhei,
e acordei pensando em você.
Eu nem sei o que é paixão,
Perguntei para o coração,
ele disse que é pra eu ter calma,
um dia virá meu primeiro amor.” Canta.

Aktive, se levanta, e grita ao nome de Brunei.
“Esta caneta me pertence, a luta não acabou.”
Enquanto Wanessa prossegue cantando, uma força descomunal brota de Aktive pelo som da música.
Sharon, a toca no violino, enquanto Wanessa continua a cantar.
A caneta reguladora salta das mãos de Brunei, de volta a Aktive.
“A magia está sobre o meu comando, Caneta reguladora ativar!”
Diz o bruxo, a ativando de novo, e desta vez, derrotando Brunei rapidamente.
O bruxo caí ferido, e ele lhe retira o anel.
Seus seguidores fogem ao verem seu mestre derrotado pelo jovem, enquanto Sharon ainda tocava a música agora não mais cantada, enquanto Wanessa fica com os olhos marejados e
impressionada.

“Se lembra quando eu era mais jovem, e nós vivíamos cantando e tocando na cidade meu irmão?
As coisas mudaram e eu sinto que tenham chegado a este tempo.”
Diz a moça chorando.
“Eu não sou digno de estar neste mundo, tenho que morrer, eu perdi e o livro é teu Aktive.”
Ele entrega o livro para Aktive, e K se aproxima deles.
Brunei, então fica estirado ali, ferido.
K e Aktive, pegam o livro e junto de Wanessa partem.
“Vamos para casa, temos que derrotar Harssuck.”