Capítulo 5 | The Journalist |

Agora como Jornalista, Erus volta para Brasília.
Consegue falar com assessores do deputado Henrique Fontana, e marca uma entrevista.
Eles se encontram na Câmara com o pretexto de falar sobre propostas dele para o legislativo, e que prometem mudar o cenário contra a corrupção no país.
Fontana tem pretensão de presidir a Casa de leis, e acha que é bom para a imagem falar sobre seus projetos.
Ele também pretende se eleger deputado para mais um mandato, puxado pelo partido.

Erus Cunha entra no gabinete de Henrique, que começa a sua entrevista o enchendo com perguntas satisfatórias.
Erus sabia muito bem conduzir uma entrevista e se tornar intimo de seu entrevistado.
Ao ponto de chegar a perguntar o que verdadeiramente desejava.
“O Sr. conhece muito bem cada colega aqui na Casa.
Vocês sabem os segredos, as fraquezas um do outro.
As vezes eu ousaria dizer, que até usariam isso para manter projetos de seus interesses aprovados, ou desaprovar projetos não interessados, não é deputado?”
“De minha parte isso nunca aconteceu.
Mas nós temos um largo processo de pesquisa, nada fica em segredo no Congresso Erus, todos sabemos de tudo.”
“Para ser um bom Presidente, o Sr. tem que saber de tudo e mais um pouco Deputado Fontana.
É por isso que eu quero lhe perguntar.
O que sabe sobre a deputada Adriana Reis.”
Ele fica um pouco assustado e desconsertado com a pergunta.
“Me diga Deputado, qual o segredo de Adriana.
O que é que ela trás na sua bagagem, que levou a morte de sua Assessora Alinne?”

Fontana fica ainda mais assustado, e emenda logo que Alinne foi vítima de um assalto.
Antes que encerrasse essa afirmação, Erus prossegue.
“Deputado o Sr. não viu a necropsia de Alinne, a perícia da polícia no local do crime.
Ela foi morta ela não foi assaltada.
O criminoso atirou na cabeça e no peito, queima-roupa, pra matar.
Eles levaram apenas o relógio do braço dela, não levaram bolsa, não levaram o celular.
E o relógio que ela usava foi um presente dado pelo noivo, o primeiro presente de namoro deles.
Aquela peça, valia uns 40, 50 reais no máximo, era bijuteria.
Para ela tinha valor sentimental, ela nunca tirava.
Por isso não foi assalto Deputado.
Antes de Alinne morrer, ela fez um vídeo dizendo que tinha descoberto um segredo grande, que deveríamos revelar esse segredo se algo lhe acontecesse.”

Henrique pede uma pausa na entrevista, e diz a Erus que precisava de alguns minutos.
Ele tinha acabado de receber uma carga de informações que ele não poderia responder agora.
Erus diz que compreende, ele tinha que saber que estratégia usar.
Mas mais cedo ou mais tarde ele ia ter que responder.
Fontana promete ser transparente e lhe dar a resposta que ele quer, só que antes precisava entender melhor a situação.

Fontana deixa a sala, pede que Erus espere ali.
Ele vai falar com seu assessor que agendou a entrevista.
“João de onde que me tirou esse jornalista, Erus.
O cara é muito bom pra perguntar, mas me levou na conversa, e agora ta perguntando sobre a morte da Alinne.
Que porra é essa assim me fode João.”
“Deputado, fala com ela, ela fez a merda ela que tem que sair.”
Ele diz que Erus foi recomendação da Thais.

Henrique caminha entre os corredores de forma discreta, entra na sala de Adriana.
Se depara com Maurício.
“Cadê sua chefe?”
“Ainda não tá aqui, tá num almoço fora deputado, por que?”
“Liga pra ela e diz pra vir pra cá, agora.
Nós temos um problema.”
“Que problema?”
“Um jornalista dos bons pra futricar no passado querendo fazer perguntas sobre ela, que eu não tenho como esconder.
Porque ele já sabe que eu sei de coisas, sem eu dizer que sei.
Agora ta me pressionando pra responder o que, e se demorar muito aqui pra o falar, ele vai publicar, uma historia qualquer que pode prejudicar a Adriana, a mim, a todos.
Liga pra ela, agora Maurício.”
“Que jornalista da porra é esse, nome deputado, me da um nome.”
“Erus, Erus Cunha.”
“Cacete!”
“Conhece ele?”
“O cara disse que ia voltar, e ia acabar com a Adriana.
Ele voltou.”
“Quem é ele a final?”
A porta se abre, Adriana entra antes que Maurício pudesse responder.
“Boa tarde Senhores.
O que faz aqui Henrique, veio pedir voto de novo?”
“Não deputada, eu vim em busca de respostas.”
“Respostas, do que está falando?”
A porta se abre de novo, Erus passa por ela, com seu registro profissional entre as mãos.

“Ele quer saber, por que mandou matar sua assessora Alinne, e qual o segredo que teme ser revelado por Messias Montezino, deputada.”
Adriana esbugalha os olhos e Maurício fala baixinho.
“Esse aí é o noivo da Alinne, o Jornalista Erus Cunha”, para Henrique.