Capítulo 3 | The Journalist |

Alinne estava morta nos pés de Adriana Reis, e Lombardi e a deputada parecem incrédulos.
Eles querem saber o que aconteceu, e Adriana a identifica para a polícia como Assessora Parlamentar, que estava no escritório do partido para uma reunião.
Lombardi, confirma a versão mentirosa contada pela deputada, escondendo o verdadeiro motivo pelo qual Alinne estava ali.

A jovem tem seu corpo removido, e sua família é avisada em São Paulo de seu óbito.
Em casa sem ter ideia do que acontecia, Erus trabalhava.
Escritor ele sonhava em lançar um livro e se dedicava a isso.
De repente seu telefone toca, e ele estranha ver o número da mãe de Alinne.
Quando ele atende, Luciana o dá a notícia que não queria, ou nunca pensou receber.
A noiva estava morta.
Erus não entende como aquilo era possível, e Luciana diz que ela foi vítima de um assalto em Brasília.
Erus então diz que ia para a casa dela, e que de lá iam juntos em Brasília retirar o corpo.
Luciana diz que Adriana estava cuidando de todo processo, e que levaria Alinne para ser enterrada em casa, no dia seguinte.
Não havia nada que pudessem fazer na capital federal.

Erus desliga o telefone e chora, e então um e-mail chega para ele.
Tinha sido enviado, 40 minutos antes de Alinne ser assassinada, e era de sua noiva.
Ele se assusta quando lê, e fica perplexo ao assistir um vídeo contido no e-mail.
O escritor, salva uma cópia do vídeo em sua nuvem, e outra num pendrive, além da deixada no notebook.
Ele desliga o computador e fica pensando, numa forma de talvez conseguir saber o que havia acontecido com a moça.
Como fazer isso, sem ter poderes para investigar a sua morte? Ele pensava.
Erus sabe que para ser policial, haviam coisas que tinha que fazer, cursos, anos de preparo.
Além disso ele não se qualificava para aquilo, aquela função, porque tinha problemas de saúde.
Mas o jovem, estava ali parado diante a foto da amada, jurando descobrir o que de fato ocorreu com ela.

Erus saí de casa e compra uma passagem para Brasília, num voo comercial.
Na tarde daquele dia, ele chega a capital federal e vai a funerária.
Pede para ver a noiva, que estava num caixão, pronta para ir para casa.
Erus, a olha no caixão lacrado, e se emociona diante ao corpo.
Antes de leva-la para casa ele quer falar com Adriana.
Na Câmara, espalha a notícia da morte de Alinne, e Adriana dá entrevistas falando que ninguém estava seguro.
E que ela iria propor um projeto, para que essa segurança de assessores, também fosse reforçada em Brasília.
Se Alinne tivesse um segurança com ela, talvez tivesse evitado o assalto.
Na mesma linha, o Presidente Montezino aproveita a deixa.
“Se a Assessora da deputada Reis pudesse andar armada, ela mesma teria evitado o roubo que a matou.
Estaria conosco agora.
Mas vamos impedir que outras Alinnes existam, que sua morte seja a última.
Hoje, eu encaminho ao Congresso, o projeto que autoriza o cidadão brasileiro a andar armado, e agir em legítima defesa de si, ou de terceiros, quando o caso exigir.
Espero que a deputada Reis, nos apoie, pois isso será em nome de sua assessora.”

Adriana fica sem alternativa, a não ser declarar apoio claro ao projeto, que chega com muita força no Congresso.
Na saída da Câmara, Erus se identifica a ela.
“Deputada eu sou Erus Cunha, escritor, noivo de Alinne.
Preciso falar com a Sra.”

Adriana se assusta ao ver Erus ali, ela pensa o que Alinne poderia ter falado do que estava acontecendo.
Ela estava certa em se assustar.
Eles entram no gabinete, e ele é claro com ela.
“Eu não pretendo me envolver com política, não quero isso.
Só quero saber de verdade o que aconteceu com a minha noiva, e eu vou descobrir, custe o que custar.
Deputada, quero que me conte, porque demitiu a Alinne?”

A parlamentar fica sem reação, e quer saber de onde ele tirou aquela informação, e Erus é categórico.
“Eu sei de tudo, tudo que aconteceu aqui, quero ouvir com suas palavras antes de publicar.
Estou te dando a chance de se defender.”
“Publicar?”
“Sim eu vou publicar a verdade desse fato.
A Alinne não vai ter morrido em vão.
Sou escritor deputada, eu escrevo e muito bem.
Eu vou criar um Blog, Informe Verdade, e vou informar o mundo, a verdade de todos os fatos.
Inclusive, a verdade que quer manter oculta!”