The Journalist | Capítulo 2 |

Alinne fica incrédula sobre o que estava vendo, Adriana indo embora daquele jeito, ela não era de se derrotar.
Ela questiona Maurício que pede que ela ficasse longe daquilo.
Ela tinha que compreender que na política não se podia vencer todas e era preciso saber a hora de perder.
O projeto que Adriana era contra foi aprovado por 386 votos favoráveis.

No dia seguinte Alinne acompanhava as notícias dos jornais, e sentia-se mal por ter perdido o encontro Online com o namorado por nada.
Adriana chega na Câmara e a assessora fala com ela, ela diz que tem que conversar.
Ela diz que não entrou na política para se sucumbir daquele jeito e pergunta a deputada, afinal, o que a turma do Montezino tinha contra ela para fazer ela desistir da
oposição ao projeto.
Adriana diz que tinham coisas que eram complicadas, coisas do seu passado, que o Messias e seus aliados descobriram.
Mas que ninguém sabia sobre e que se soubessem destruiria sua carreira.
Por isso ela teve que recuar, pelo menos por enquanto.
Alinne diz a Adriana que queria pedir para sair, que não ia mais ser sua assessora.
Ela fala para a deputada que se fosse para ficar daquele jeito não ia trabalhar mais em Brasília.
Alinne diz que estava se demitindo, e deixa o gabinete.
Adriana avisa a Maurício que tinha contado a Alinne que Montezino tinha algo contra ela, e que a assessora se demitiu.
Alinne cruza com Henrique de novo e pede para falar um minuto com o deputado.
Ela diz que ia ser a última vez que iria incomoda-lo porque estava indo embora.
Ele pergunta o que aconteceu, e ela diz que se demitiu.
Ele faz uma cara espantado, e Alinne prossegue.

“Deputado, ontem me disse que eu não conhecia bem a deputada Reis.
O que é que vocês sabem dela que eu não sei, eu queria saber.”
Henrique fica ainda mais espantado, mas Alinne insiste e diz que tem que saber a verdade.
Henrique pede que ela não fique procurando sarna para se coçar, já que decidiu ir embora era melhor sair.
Mas Alinne diz que não tinha como simplesmente deixar assim pra lá.
Que ia ficar atrás dele o dia todo, até que contasse a ela.
E logo, a imprensa toda ia falar que a ex-assessora da Adriana estava atrás dele e isso ia gerar conflitos e fofocas.
Ele entra no gabinete e ela entra atrás, ele se senta na cadeira.
“Não vai embora mesmo se eu não contar né?”
“Não vou”.
“Sua teimosia vai te matar Alinne.”

O deputado conta a para a moça o segredo de Adriana Reis, e ela fica boquiaberta.
Alinne então deixa o gabinete e Maurício vê ela saindo, mas não consegue chegar a tempo perto dela, ela parecia com passos acelerados.
Ele pega o celular e envia um áudio para Adriana.
“Temos um problema, a Alinne acaba de sair do gabinete do Henrique, to vendo, e com muita pressa.”
Adriana parece preocupada e diz a Maurício, que se ele contou a ela sobre o passado, então ela ia denunciar, a imprensa ia saber.
Maurício diz que ia ao apartamento dela e tentar conversar com ela.
Adriana fala que Alinne não era o tipo de pessoa que se rendia fácil, e não engoliu ela ter preferido esconder o passado do que agir contra o projeto dos aposentados.

Alinne vai a sede do partido de Adriana, e pede para falar com o Presidente.
Ela entra na sala no escritório, e conversa com Lombardi.
“Eu quero saber se conhece alguma coisa que possa desabonar a deputada Adriana Reis.”
“Não entendi o que quer dizer.”
“Um segredo do passado Lombardi, a Adriana tem algum segredo do passado que poderia acabar com a carreira dela?”
“Claro que não! ela é a pessoa mais íntegra e honesta que nós temos no partido e é uma política nova.”
Fala ele surpreso.
“Alinne o que é que está te assustando, agora me deixou assustado também.”
Alinne conta para ele o que descobriu, e Lombardi passa a mão no telefone.
Liga para Adriana e pede que ela vá ao escritório.
Ela fala que no final do dia dava uma passada lá, e ele diz que não podia esperar, que ela tinha que ir agora.
Que o assunto era urgente, sobre Bento Amorin.
Parece que um fantasma está diante de Adriana, que fica pálida.
Desliga o celular e saí do gabinete.
Maurício a vê, e pergunta onde ela vai, logo ia começar uma votação importante.
Adriana fala para ele que era bom que se preparasse para procurar um novo emprego, o partido a telefonou para falar sobre Bento.

Alinne está no partido ainda e diz a Lombardi, que queria uma oportunidade.
Ele pergunta a ela de que, e ela diz que quer se filiar, e sair candidata nas próximas eleições.
Sem o apoio de Adriana, porque ia denunciar a sujeira que acabara de descobrir.
Ele pede que ela vá pra casa, que reflita, enquanto ele ia falar com Adriana.
A deputada chega e nota Alinne saindo.
“Você me traiu”, fala a deputada para a ex-assessora, que a responde.
“Te traí não, você é que traiu todo o país.”

Aline bate a porta e vai embora, Adriana entra na sala de Lombardi.
“Se o que eu sei é verdade e Alinne não é o tipo de pessoa que mente, pro seu bem e do partido Adriana, você tem que sair de cena.
Cria qualquer motivo antes que isso vaze e renuncie.
Tem que renunciar.
Porque se não fizer isso, o que vai acontecer é que vão te pegar, todas as vezes usarão isso contra você, chantagearão pra conseguirem o que querem.
E ano que vem ainda vai estar no palanque do Montezino.”
“Isso nunca, nunca estarei com ele.”
“Então saí agora, renuncia.”

Eles escutam um estampido, parece um som de tiro, acham estranho.
Logo, sirenes de polícia, e então Adriana saí com Lombardi para fora do prédio.
“Meu Deus, é a Alinne!”
Fala a deputada ao ver a ex-assessora sangrando no chão.