2º capítulo | Aktive |

Aktive e a Caneta Reguladora
Capítulo 2 – A chegada.

Aktive tinha muitas perguntas na sua cabeça, mas agora pouco tempo para as responder.
Ele tinha horas para se preparar para a escola de magia, e por isso voltou correndo para casa.
Arrumou suas malas enquanto K, o esperava na sala para leva-lo em segurança.
Tudo que ele precisava era o que tinha na pequena mala de mãos, dizia a K.
Eles saíram da casa e foram a padaria.
Sandra se assustou ao ver o filho fora da escola, e ao ver K.
Aktive, disse a mãe que já sabia da verdade sobre o pai, e ela começa a chorar.
Pede perdão para o filho e diz que queria o manter longe de toda aquela loucura, que não queria o perder também.
K, diz que não iria permitir que nada acontecesse com Aktive.
Sandra, fala que ninguém poderia protegê-lo, se ele fosse para aquele lugar amaldiçoado.
Aktive diz a sua mãe, que aquilo sempre esteve em seu destino, e era o que seu pai iria querer.
Por isso ele o deixou o anel.
Sandra vê o anel que estava antes no pescoço, agora no dedo da mão direita de Aktive.
Ela diz que se não tem outro jeito, só pode desejar que Deus o proteja.

Eles saem, e antes que rumem para a escola, K fala para Aktive que só precisam parar em um lugar antes.
Eles entram numa casa antiga, e abrem uma passagem secreta.
Parece um subsolo de um banco.
K, então diz a um dos funcionários.
“Bom dia, eu preciso acessar o cofre 200.”
A porta se abre e eles descem ainda mais para baixo da terra, em um subsolo ainda mais profundo.
Aktive o acompanha atentamente, e K, pega uma caixa de dentro do cofre.
Ele a abre, é um estojo dentro uma caneta azul.
Parecia ser de girar atrás, e com um botão próximo a ponta, que não tinha nada, era como se fosse um buraquinho que encaixasse algo.
K, volta a caneta para dentro do estojo, para dentro da caixa, coloca em sua pasta e eles saem dali.
“Por favor, não diga a ninguém que eu te trouxe aqui comigo, é altamente sigiloso esse conteúdo.”
“Se é sigiloso, por que me deixou ver?”
“Porque confio em você, e sei que não vai falar.”

Eles agora partem para o aeroporto, K diz a ele que o jato que os levaria para a escola já vai decolar.
Eles embarcam, e dezenas de jovens estavam abordo.
K, diz que todos os anos, aqueles adolescentes fazem aquela mesma viagem, e que agora iam rumar para a ilha da magia, onde ficava a escola.

O jato sobe, sobe, sobe tanto que desaparece entre as nuvens.
Aktive, parece um pouco enjoado, e K pergunta se ele está bem.
De repente uma mulher de cabelos longos e pretos, com um sorriso entre os lábios aparece.
Pergunta com sua voz rouca.
“Está tudo bem?”
“A sim meu amor, está”, responde K.
“Aktive, essa é Perpétua, ela é professora em nossa escola, e também minha esposa.”
“Muito prazer Sra.”, fala Aktive.
Perpétua sorri para ele, e o deseja boas vindas.
Entrega a ele umas bolinhas que tira de um frasco nas mãos.
“Pode comer elas se tiver enjoado, ajudam, é homeopatia.”

Aktive coloca as 5 bolinhas nas mãos rapidamente, e logo se sente melhor, como se fosse um passe de mágica.
Logo, o jato desce, eles chegam na ilha que dá entrada para a escola Glicos.
K diz a Aktive, que ele precisava ir agora, e que o deixaria no pátio com seus novos colegas.
Logo, ele ia se enturmar, e eles passariam pelo processo de seleção.
“O que é o processo de seleção?”
Pergunta Aktive, mas antes que tivesse sua resposta, então K não está mais lá.

Um jovem adolescente que passava pelo local, escuta o questionamento de Aktive.
“Oi, está um pouco perdido aqui?” Pergunta.
Aktive diz que parecia sim, era sua primeira vez naquele lugar.
“Eu sou Gui, e você quem é?”
“Eu sou Aktive.”
“Não acredito, é Aktive Glion?”
“Sim sim”, responde ele ainda um pouco confuso.
Gui o chama para ir com ele, e então ele o leva para se sentar.
“Daqui a pouco eles virão, e vão fazer um pequeno furo nos nossos dedos, vai sair uma gota de sangue.
Colocarão nas fitas seletoras e então, farão a checagem.
Então, o aparelho medidor vai nos dizer, onde vamos dormir, qual casa vamos morar.
Mas com certeza você nem precisa passar por esse teste, sua casa será Klite, que leva o nome de seu pai.”

Aktive parece um pouco preocupado, e se repentinamente ele fosse para outro lugar que não a casa de seu pai.
Ele quer saber, quais as outras casas, e Gui fala para ele.
Ele quer saber como ele sabe de tudo aquilo, e Gui fala que sua irmã já estava na escola, ela o contou tudo e deu para ele, algo que o ajudou muito.
Ele mostra um pequeno livrinho, escrito “O melhor guia mágico de Glicos”.
“Eu acho que preciso de um desses”, fala Aktive.
Gui diz que ele poderia usar o seu, se precisasse, ele já tinha o lido e tinha memória fotográfica, lembrava de tudo.
Aktive o agradece e segura o livro entre as mãos, quando algo acontece.
Ele fica paralisado quando uma jovem e bela moça, passa por eles.
Com um vestido pouco acima do joelho, na cor lilás, ela passa e sorri ao olhar Gui, se aproxima, o dá um beijo na testa e aperta suas bochechas, e ele ri de volta para ela.
“Quem é essa princesa?”
Pergunta Aktive, assim que ela vai embora.
“Essa é a Wanessa, está no último ano agora.”
“Ah! E ela é sua namorada?”
“Namorada?
Não não, de jeito nem um.
Wanessa é minha irmã”, fala Gui, sorrindo.

O sistema de som, chama pelos alunos no centro do pátio.
Os inspetores passam por eles e eles estendem suas mãos, mostram o dedo indicador da mão direita, que é furado pela lanceta mágica.
Uma gota de sangue é retirada de cada dedo, e posta nas fitas seletoras.
Levadas ao centro, elas são engolidas por um grande aparelho, que lembrava um aparelho de checagem de diabetes.
De repente, alguns minutos mais tarde, o aparelho joga as fitas fora, falando o nome de cada aluno e a casa que ele vai morar.
Essas fitas se transformam em chaves, que cada um tem que pegar, para abrir as portas de seus dormitórios.

Aktive estava preocupado, o nome dele não saía e ao mesmo tempo, os quartos da casa Klite estavam acabando, cada casa, só recebia 30 alunos novos por ano.
Fora os anteriores que estavam lá.
Em cada dormitório, dormiam 2 alunos, e eram separados, os meninos das meninas.
29 nomes de Klite já haviam saído, e Aktive estava agora ainda mais apreensivo.
Gui, já estava em Klite, assim como a bela Wanessa.
Ela passa mais uma vez por eles, e Aktive, parece paralisar ao vê-la.
Ela se aproxima e segura em sua mão.
“Se acalme, eu também fiquei ansiosa no primeiro dia, mas vai dar tudo certo.
Desde que não esteja em Nestles, vai ficar tudo bem.”
“Por que não posso ir para Nestles?”
“Os bruxos ruins vão para lá.
Tem uma lenda que, Nestles não morreu, ele desapareceu para tomar o lugar de Klite Glion, um dos fundadores.”
Wanessa olha fixamente para os olhos de Aktive.

“Esses olhos.”
“O que tem meus olhos?” Pergunta Aktive assustado.
“Eles são impossíveis de esquecer, estão em todos os livros de historia da magia, nas fotos de Klite Glion.
Como se parece com ele.”
“Glion era meu pai, eu sou Aktive.
Mas não tinha ideia de que esse mundo existia, até de manhã, quando K chegou na minha escola para me buscar.”
“Hoje então é seu aniversário de 15 anos?”
“Sim sim, hoje é.”
“Parabéns.” Fala Wanessa, dando um selinho em Aktive, quando o aparelho chama por seu nome.

“Aktive Hioshi Glion.”
Todo colégio para diante ao nome, e todos ficam estarrecidos.
Não era mais segredo, o filho de Klite Glion estava ali.
K, estava parado no pé da escada que levava os alunos para as salas de aulas.
E o aparelho prossegue.
“Casa Klite Glion”.
Aktive parece aliviado, e até se emociona.
Ele pega sua chave, e segue com Gui e os outros para a nova casa.
A porta é aberta com a digital de um aluno mais velho, e então eles estão no salão.
“Meninos, dormitórios a direita, meninas a esquerda.
Os alunos novos ficam no primeiro andar, demais já sabem onde são seus dormitórios.
Vamos!” fala uma professora muito jovem e bela, que chama a atenção de Aktive.
“A propósito, eu sou Elisa.
Serei professora de vocês e orientadora desta casa.”

Continua…