Defensoria Pública quer indenização de 60 Milhões do CFM por recomendações a Cloroquina

Por Revista Kromnws
06/10/2021

A Defensoria Pública da União, ajuizou em 1º de outubro, uma ação civil pública contra o Conselho Federal de Medicina.
O CFM é acusado de responsável, pelo grande número de pacientes tratados de maneira errônea com Cloroquina.
Medicamento ineficaz no combate a Covid-19, e que pode levar pacientes a morte.

Em 23 de maio de 2020, o Conselho publicou uma norma que dizia que não iria punir, médicos que escolhessem receitar a medicação, ainda que sua eficácia fosse duvidosa.
Isso abriu precedentes para que o governo brasileiro, aumentasse e embasasse a recomendação para o chamado Kit Covid, que matou pessoas no Brasil e piorou muitos casos e
sintomas da doença, em vez de cura-la.
Se o CFM não tivesse feito a liberação do tratamento, aponta a Defensoria, o governo federal não teria respaldo para liberar tal tratamento no país.

Mesmo depois da Organização Mundial da Saúde, não recomendar seu uso, a Cloroquina e a Ivermectina, medicamentos usados pelo Kit Covid, foram mantidos na recomendação do CFM.
A entidade foi procurada pela Kronnws, para dar seu posicionamento do caso.
Mas o Conselho disse por nota, que irá se manifestar no processo quando for chamado, e defendeu a sua atuação na pandemia da Covid-19.

Reportagem de Luara Pecker