Capítulo 3 | 2ª temporada | The Journalist |

O sol invade a fresta da janela, bate em cheio nos olhos de Piter Sauros, que acorda assustado.
Ele percebe que estava sozinho na cama, mas num quarto que não era o seu, e fica tentando puxar na memória o que estava acontecendo e onde talvez ele pudesse estar.
Se levanta rapidamente e percebe que estava ainda seminu.
Acha sua roupa atirada no chão, e a veste ainda um pouco desconsertado, a medida que alguns flashs de memória vem a sua mente.
Piter agora vestido saí do quarto, atraído por um cheiro de queijo quente que vem da cozinha.
Ele entra e se depara com Elize, sorridente.
“Bom dia Jornalista, está melhor?”
“Melhor?”
“Chegou aqui um pouco confuso ontem, nem creio que se lembre o que me disse ou o que fez.”
“É ainda está tudo um borrão na minha mente, vem um flash e vai assim.”
“Normal, logo vai lembrar.
Ou podemos repetir para que se lembre como foi”, fala ela com um sorriso entre os lábios.
Ela puxa uma cadeira para que ele se sente, mas ele fala que não pode ficar, tem que ir embora.
“Um beijo de despedida então?” Fala Elize.
Eles trocam um selinho, e Piter deixa o apartamento da moça voltando para casa.
E quando chega, ainda estava dormindo Jenifer.
Talvez ela nem tivesse percebido que ele saiu na madrugada e ele pensa que era melhor que assim ficasse.

Piter vai para o banho, fica debaixo do chuveiro e aos poucos se lembra um pouco mais de como foi a noite anterior.
Depois enquanto se trocava, ainda sentia o cheiro de Elize no corpo, na mente, em si.
Jenifer se levanta, e pergunta a ele se estava tudo bem e ele diz que sim, que estava se arrumando para ir trabalhar.
Ele se troca, e vai, sem tomar café.

Chega no escritório da revista e tenta levar o dia da mais natural forma possível, tentando negar para si mesmo cada detalhe da noite anterior.
Mas a medida que as horas passam, o que Piter mais quer saber é saber de Elize, e se iam repetir a dose da noite anterior uma vez mais.
Paralelo, ele tenta se concentrar no trabalho, para a próxima edição da Sauros, que tinha de ser tão boa quanto a sua estreia na noite anterior.

Mais tarde bate-se na porta de sua sala e ele diz que pode se entrar.
Parada num vestido envolvente e branco, estava Elize, cheirosa e de cabelos molhados, um convite a tentação.
“Está tudo bem?”
“Sim está Elize, e você?”
“Eu tive uma noite maravilhosa, um pouco ardida mas maravilhosa.
Estou bem.”
Fala ela, brincando com os cabelos e sorrindo uma vez mais.
Piter diz a ela que não deveria existir segredos entre eles, e ela concorda.
Ele diz que então tinha que a contar uma coisa que aconteceu.
“Não vai me dizer que fez amor com sua esposa ao chegar em casa, por se arrepender por ontem.”
“Não não, isso não tem a ver com o que aconteceu.”
“Ah! Então o que foi?”
“Eu vi Yago.”
“Yago?
Quando, onde?”
“Ontem, na festa.
Ele veio e estava disfarçado no meio de nós, hora que eu fui no jardim respirar um pouco, ele veio e então conversou comigo, e disse que estava feliz com nosso resultado.
Disse que logo ia poder voltar que as coisas iam se ajeitar.”
Ela diz que não acredita, que era bom o ter de volta, e agradece por ele ter a contado, significava muito para ela, era cansativo bancar a mafiosa ela não tinha nascido pra
aquilo.
Ele diz que sabe que não.
Elize fala que Piter poderia assumir seu lugar, e ele sorri.
“Eu não sei fazer isso.”
“É homem, você aprende e fácil, vem comigo na reunião hoje de noite e eu te apresento para o pessoal.
Um teste pra ver como se saí e como o grupo te aceita, que tal?
Preciso de seu apoio.”

Piter concorda e eles combinam de se encontrar depois do expediente de trabalho, e então o resto do dia passa.
Um envelope chega para Piter na revista e ele pega e leva para sua sala.
Ele abre, e fica surpreso ao ver o conteúdo.
“Sua próxima investigação, essa empresa está matando clientes de seu plano de saúde.
Sua missão é descobrir por que.”
Diz o texto.

Piter chama seus jornalistas e diz que eles tem uma nova historia, uma grande historia.
E apresenta o que recebeu nos envelopes, e diz que eles tem que ir atrás daquilo, pra saber se é boato, ou se tem mesmo uma historia.
Ele ia correr por fora e ver o que conseguia descobrir, e trazer na próxima reunião, em 2 dias.

Piter vai para casa, toma outro banho e veste um terno.
Jenifer pergunta a onde ele vai, e ele diz que tem que trabalhar.
Ela pergunta por quanto tempo mais ele ia levar aquela vida e ela fala que não suporta mais ficar sozinha.
Piter diz que aquela era a sua vida, não dava para mudar, ele ia ser sempre jornalista.
Ela pergunta onde ele vai, com quem.
Ele diz que estava atrás de uma historia e ia encontrar umas fontes, e quase estava atrasado.
Saí de casa e liga para Elize, perguntando onde ele tem que ir.
Ela pede que ele vá para um restaurante chinês, e quando ele chega lá, ela pede que ele suba.
Ele sobe para cima do andar do restaurante, e se depara com um grupo de pessoas.
“Caros amigos este é Piter Sauros.
Meu irmão gostaria que ele se juntasse a nós, e eu venho o avaliando e observando.
Agora acho que é hora de ele conhecer nosso grupo um pouco mais.
Então, bem vindo a máfia Piter.”
Fala ela, sorrindo.