4º capítulo | Outro Lado |

Estar no Reino Celestial é um aprendizado a cada dia.
Nós vamos descobrindo aos poucos como é que as coisas realmente funcionam, aqui e na Terra.
Aos poucos vamos descobrindo o que é verdade e o que é mito, de tudo que nos foi contado desde que éramos crianças.
Claro que muitas das conversas não passam disso, conversas.
Mas algumas coisas acabam sendo um pouco verdade.

Anjos e santos existem.
Mas os anjos não tem asas, como parece nos filmes ou nas imagens de representação.
Eles são pessoas normais divididos em grupos.
Também podem ser chamados de guardiões.
Isso depende muito do grupo ao qual pertencem.
Os anjos podem viver entre os homens, e a noite subirem ao céu.
Para que acompanhem os trabalhos e o desenvolvimento, enquanto seu corpo adormece na Terra.
Outros anjos ficam direto aqui, ou cuidam do equilíbrio entre os mundos.
Eles podem flutuar, ao irem a Terra.
Como se voassem.
Mas não porque tem asas, como eu disse eles não tem.
Mas sim, pela força do poder de seus pensamentos.
É um complexo procedimento que nós só poderemos compreender mais para frente, quem sabe.

Depois de passar algum tempo no hospital, nós somos liberados.
Quando estamos prontos, então os médicos dizem que podemos sair.
Um anjo guia, vem nos receber na porta do hospital, se apresenta para nós.
No meu caso foi Sônia, quem me levou para casa em definitivo.

Há diversos espaços aqui fora do hospital como eu disse, casas e prédios, onde ficamos e moramos.
As vezes junto as pessoas de nossa família que já partiram, as vezes sozinhos.

Eu estava sozinha em um prédio diferente.
O prédio para onde fui levada após deixar o hospital, é o prédio da reencarnação.
Eu tinha uma nova missão a cumprir, e por isso voltaria a Terra.
Fui avisada naquele instante, 6 meses depois de minha morte e assim que deixei o hospital, que iria reencarnar.
Meu espírito precisaria evoluir rapidamente, eu tinha que absorver tudo que eu aprendi e o que ia aprender.
Para que logo eu pudesse regressar a uma nova vida, e iniciasse um novo ciclo.

Eu frequentaria a escola espiritual aqui, e minha área seria a da reencarnação.
Com os guias, aprenderia tudo sobre isso.
No momento certo eu ia escolher, a família em que ia nascer.
Sim, nós escolhemos nossos pais.
As vezes escolhemos errado mas na maioria das vezes acabamos acertando a mão.
E quando escolhemos, quase sempre é alguém com quem tivemos contato no passado.
Nós, temos uma lista de pessoas que nos são apresentadas, e então podemos fazer essa escolha.
Mas a minha, não era hoje.
Hoje, eu vou apenas para mais um dia de aulas e aprendizados.