Pandemia – Empregos para invisuais caem com o Coronavírus

Por Kromnws Vision
25/09/2021

A pandemia da Covid-19 trouxe inúmeros reflexos negativos para a economia mundial.
Muitos eram necessários porque não havia e ainda não há, condições de que as pessoas fiquem saindo para trabalhar.
A verdade é que a Covid-19 ainda não passou, e que todos tem que se proteger.
Com máscara, com vacina e com distanciamento social.
Não há outras formas de fazer a proteção que não sejam por este caminho.

Deficientes visuais foram igual ou mais prejudicados que outras categorias durante o período mais agudo desse isolamento.
De cada 50 empregados, 30 perderam as vagas de trabalho durante a pandemia.
A maior parte deles, porque empregadores não queriam os manter recebendo, em casa.
E muitos não tinham nas suas residências, a estrutura necessária para que pudessem trabalhar.

As empresas colocaram seus funcionários em Home Office, mas não deram a estrutura.
Não existe uma lei que obrigue, as empresas a fazer isso.
E como a fiscalização acabou na pandemia para saber sobre a lei de cotas, e surgiu muito trabalho intermitente, acabou ocorrendo uma demissão em massa.
Hoje, os deficientes visuais tentam se recolocar no Mercado de Trabalho.
Mas essa recolocação é difícil.
Muitos fatores pesam de maneira negativa e a forma de trabalhar tem mudado, e não vai parar.
Aqueles que estão melhor qualificados, vão entrar na frente nos empregos, em todos os aspectos.

Muitos deficientes visuais aproveitaram o período em casa para se aprimorar.
E fizeram muito bem.
Os cursos Online cresceram no Brasil, uma média de 80% nos últimos 18 meses.
As universidade a distância receberam nesse ano, 60% amais de matrículas que no ano passado, de deficientes visuais.
Mas é preciso avançar ainda mais.
As estruturas inacessíveis de sistemas de cursos Online, que precisam melhor estrutura, são empecilho para que mais Invisuais procurem as aulas.

Reportagem de Mariana Novacki