Operadoras de telefonia do Brasil são acusadas de propaganda enganosa por Secretaria do Consumidor

Por Revista Kromnws – 22/09/2021

O Brasil vai fazer entre o final deste ano de 2021, a começo de 2022, com um grande atraso mas antes tarde do que nunca, o leilão das frequências de 5G.
A nova internet deve mudar o jeito com que as coisas operam no país, com mais velocidade e latência, além de uma melhor estabilidade nas conexões.
Algumas operadoras no entanto, tem se antecipado a essa nova conectividade.
OI e Vivo por exemplo, ofertam um serviço que chamam de 5G.
Mas que opera na verdade, dentro de uma faixa de 4G avançada.

Através desse novo espectro, as operadoras oferecem a seus clientes, que tenham aparelhos compatíveis, uma velocidade superior a navegada hoje.
Mas que ainda não chega a 5G original.
Por isso, é uma propaganda enganosa que o governo federal capturou de longe, e respondeu.
As duas Teles estão sendo processadas administrativamente pela Secretaria, por fazer falsa propaganda ao consumidor.
Além de querer a retirada dos planos de comercialização, a Secretaria do Consumidor proibiu os termos 5G nas vendas das operadoras, e quer que elas façam esclarecimentos
públicos a população.
Tem mais, cada uma das teles, vai ter que pagar uma indenização por conta da propaganda enganosa.

Na ONU, o Presidente Jair Bolsonaro reafirmou que nos próximos meses o Brasil vai fazer o leilão de 5G.
A frequência deve ser muito disputada, especialmente entre as teles maiores e menores, já que umas querem engolir as outras para aumentar sua linha de atuação.
Participarão do Leilão, Claro, Vivo, OI, TIM.
E das operadoras menores, a Algar, e outras duas empresas estrangeiras.

Isso, se nada mudar até a data do leilão, que não está ainda marcada.
Por isso até lá, muita coisa pode acontecer e muita água vai passar por debaixo dessa ponte.