3º Capítulo | Outro Lado |

Durante toda a minha vida eu cresci acreditando que, as coisas que nós fazíamos nós não precisaríamos prestar contas.
Eu estava enganada.
Quando morremos antes de entrarmos no plano Celestial, nossos atos na Terra são julgados num Tribunal Celeste.
Esse Tribunal é que define o que vai acontecer com nosso espírito.
Por isso inventaram o tal do funeral.
É o tempo que a pessoa leva para ser julgada, porque quando seu corpo está 7 palmos pra baixo da terra, seu espírito tem um caminho a seguir.
Vai para o Celestial ou para o Inferno.
Aí é com cada um, com suas ações e com as decisões do Tribunal Julgador.

É importante entendermos que, existem muitas coisas que os outros fazem que apesar de não ser o que Deus gostaria, não significa que as pessoas serão condenadas ao inferno.
Quer ver um exemplo disso?
Nem todas as prostitutas vão para o inferno.
Nem todos os drogados vão parar no inferno.
Isso depende de uma série de coisas, de ações, para determinar seus destinos.

Assim que você morre na Terra seu espírito é desligado de seu corpo, e você começa a dormir.
Você vai acordar no seu velório, enquanto as pessoas estão ali, despedindo de você.
Ali mesmo em um canto, ocorre o tribunal.
3 enviados do Reino Celeste descem a seu encontro, e uma pessoa vem das trevas.
Então as ações são julgadas para se definir, seu futuro.
Quando seu corpo vai para o cemitério, você dorme.
E só acorda depois, onde quer que esteja que estar.

Quem não aceita sua morte, há dois caminhos.
A pessoa pode ficar dormindo todo o velório, e assim não ser julgada.
E então seu espírito ficar vagando, até poder ser resgatado.
Isso é uma coisa que pode levar anos ou séculos, depende da aceitação da morte.
Outra coisa que pode acontecer, é que a pessoa durma após o julgamento, não aceite a morte e por isso ao subir para o reino Celeste, seja mantida adormecida no hospital.
Todas as semanas ela é acordada uns minutos, e dependendo de como reage a morte, volta a dormir de novo.
Por isso tem aqui no hospital, a ala que eu disse antes, que é como se fosse uma UTI.
Onde ficam as pessoas que chegam muito doentes de espírito, ou que não aceitam a morte.
A morte é o fim de todos.
Hoje eu vejo que nós, deveríamos estar preparados para elas.
Assim como uma planta, nascemos e morremos.
Isso é o ciclo natural que foi criado para que nós fizéssemos.
Não há como fugir disso, e qualquer um que te diga diferente, é um louco de pedra.

Nós, não podemos ter contato com ninguém que chegue nessas condições de estar adormecido por não aceite.
E não vemos tribunais também.
Só as pessoas que são selecionadas é que assistem.
Que participam.
Cada cidade tem seus representantes, são centenas deles, para que em cada tribunal, tenha gente suficiente para os julgamentos.
Tem gente que, o julgamento é rápido, feito em minutos, então essas pessoas são sepultadas mais rápido no plano terreno.
Outras pessoas precisam de uma longa sessão.
São muitas coisas para debater, para saber seu destino.
Eu morri e fiquei adormecida, por conta da minha doença, não me lembro muito bem das coisas como foram, até chegar aqui.
Porque quando chegamos estamos um pouco confusas ou confusos no caso de homens.
Isso é normal, só depois que as coisas vão se fixando no lugar.

Assim que damos entrada aqui, e que começamos a caminhar pelos corredores, passamos por uma triagem.
Que vai definir quanto tempo mais ficaremos no hospital, e para onde vamos ao sair daqui.
Algumas pessoas ficam em casas ou prédios com outros familiares já desencarnados.
Outros ficam sozinhos, esperando familiares chegar.
E há algumas pessoas que vão para a ala de preparação.
Essa área, é para onde vão os espíritos que irão reincarnar num curto espaço de tempo após sua morte.
Algumas pessoas morrem mas por diversas razões, voltam rapidamente, coisa de meses ou de talvez uns 2, 3 anos, um pouco mais que isso.
Outras pessoas não reincarnam, porque são mais úteis no Celestial.
Aqui, cada um tem o seu papel.
Eu ainda estou descobrindo qual é o meu.
Agora vou para mais uma aula de aprendizado, está na hora, o grande auditório me espera para que eu aprenda um pouco mais.
E depois, eu escrevo aqui, para que possam saber o que eu aprendi, e o que mais posso compartilhar.