The Journalist | Capítulo 10 |

Anoitece, Piter recebe no hotel em que estava hospedado, a visita de Yago Castelamare.
Ele pergunta se Yago fez uma boa viagem, mas ele diz que estava muito inquieto, o fato de saber que logo estaria frente a frente com Cecília outra vez, isso era inquietante.
Piter diz que o compreende.
“Quando eu conheci Cecília era um negócio de família.
Mas assim que eu puis os olhos nela Piter, eu sabia.
Eu ia amar ela para sempre não importa o que acontecesse depois.
Nós, ficamos juntos e conversamos, e trocamos cartas, e nos encontramos as escondidas.
A primeira vez que eu a tive como mulher, eu tive a certeza de que nem uma outra iria suprir, o que a Cecília trazia para mim.
Nós estávamos dispostos a sair da máfia, sair das famílias depois que o casamento acontecesse.
Nos amávamos, eu pensava que sim.
Então, nós iríamos nos casar e depois fugir. Tudo estava esquematizado, tinha um dinheiro guardado que eu consegui pegar.
O problema Piter, é que eu confiei na pessoa errada.
A Elize era muito jovem, pequena, uma criança, não tinha como confiar nela.
Meu pai queria que eu assumisse a família e se eu não tivesse por perto, meu irmão era o sucessor natural.
Eu disse a ele, Bruno, eu vou me casar e depois vou embora.
Quero que assuma os negócios da família e que cuide do papai, da Elize, de tudo.
Ele aceitou.

Só que de repente veio a traição de onde eu não esperava,
minhas contas estavam congeladas, o meu pai furioso e tinha uma ordem para me matar vinda da máfia.
Porque disseram que eu desviei dinheiro, muito dinheiro, deles.
Meu pai estava desgostoso, e Bruno disse para mim que eu não ia ficar com o melhor prêmio e depois ser feliz, enquanto ele ia ser condenado a viver uma miserável vida de
bandido.
Como se ser chefe da máfia, fosse ser algo tão horrível assim pra ele.
Ele disse que foi ela, Cecília, que me delatou.
Eu acreditei e eu não fui no nosso encontro.
Então a máfia foi e pegou ela, e mataram ela.
O Bruno disse que localizaram o corpo no rio, e eu me culpei para o resto da minha vida.
20 anos Piter.
Passei 20 anos acreditando que Cecília Sheng tinha morrido por minha causa, no meu lugar.
E passei acreditando que ela tinha me delatado e que eles a mataram por causa do nosso amor,
porque eu achava, que ela foi morta pra dar o exemplo do que não se devia fazer.

O Bruno, aquele canalha matou o meu pai quando ele descobriu sua tramoia e o ameaçou expor.
Eu não tive como provar ninguém acreditou, mas sei que foi ele.
Depois fugiu e disse que não ia mais ser da máfia ou ficar com a nossa família.
Após a morte do meu pai ele disse que precisava de um tempo pra digerir, e o engraçado foi que eles deixaram ele quieto.
Nunca mais tive notícias do meu irmão, e com a morte do meu pai ele fugindo, eu era o único da família.
A tradição e a lei, me mandava ser o chefe.
Não tinha como mudar e a máfia teve que me aceitar no poder.

Há 8 anos, no seu leito de morte, um dos capangas daquela época me chamou e confessou.
Que trabalhava pro meu pai, e que o Bruno pagou a ele pra matar uma garota de programa, que ninguém ia sentir falta.
Desfigura-la e jogar seu corpo no rio, para os outros homens encontrar.
Deram um jeito do DNA dela bater com o de Cecília, e pronto, a historia estava armada.
Fiquei pensando o que aconteceu com Cecília e liguei os pontos.
Pensei, ela e Bruno estavam juntos nisso, de fato eles estão.
Mas não do jeito que eu pensei.”
“É Yago, não do jeito que pensou.”
“Eu vi fotos dos filhos dele na escola, eu reconheci as crianças na hora, são muito parecidos com nossos pais.
Mas os olhos, tem os olhos de Cecília isso é inegável.
Eu queria os encontrar, mas nem tendo todo poder do mundo na máfia faria isso sem arrisca-la.
Por isso tinha que ser alguém de fora, tinha que ser você.
É o único jeito de contar a verdade, limpar meu nome de vez, limpar o nome dela e liberta-la.”
“Eu compreendo, e pode ter certeza de que iremos sim fazer isso.”

Eles saem tarde da noite, e param na porta da casa de Cecília.
Percebem que o carro de Bruno não está, e Piter então bate a porta.
Ela abre assustada.
“Você de novo?”
“Sim mas dessa vez eu trouxe um velho amigo.”
Yago Castelamare aparece diante de Cecília, que congela.