Governo vai assinar projeto que torna monoculares deficientes visuais

Por Anna Keringger, Do Informe Franca

22/03/2021 | 6h20

O Presidente Jair Bolsonaro vai assinar hoje, as 16h em Brasília, um dos projetos de lei mais polêmicos e absurdos de sua gestão.
Visando agradar a esposa Michelle Bolsonaro, defensora da causa em questão, o Presidente vai tornar reconhecida a pessoa Monocular como deficiente visual.
Deste modo vai criar para o governo uma bomba fiscal que pode inclusive terminar no seu Impeachment.
O impacto da medida deve ser de R$ 5 Bilhões extra de gastos para a União,
já que 400 mil monoculares podem passar a receber Benefício de Prestação Continuada do INSS após a medida.
O governo não deve abrir mão de nem uma receita para criar essa nova categoria de deficientes,
por isso o Ministério da Economia não está contra a sua aprovação.
Mas os deficientes visuais de verdade, esses tem muito a perder com a causa.

Uma vez que o projeto se torne lei, e monoculares virem deficientes visuais, eles terão os mesmos direitos que alguém que não tenha nada da visão ou a tenha parcialmente.
Isso não inclue apenas benefícios previdenciários, mas também preferencialmente as vagas de leis de cotas.
Empresas usarão essa questão, para se enquadrar na lei atual,
e passarão a contratar monoculares ao em vez de invisuais totais ou subnormais para os seus trabalhos.
Ninguém poderá ir contra a decisão que estará prevista na Constituição com a sanção presidencial.

A guerra dos Monoculares para serem reconhecidos como deficientes é antiga.
Em 2008, um projeto chegou a ser apresentado e votado em seu favor.
Na época o Presidente Lula, negou a lei e revogou a aprovação.
O Congresso acabou entendendo os impactos negativos e não derrubaram o veto.
Mas os articuladores da proposta não desistiram e seguiram em frente, vindo a conseguir a aprovação novamente, 13 anos mais tarde.