Comunicação – Governo inclue EBC em pauta para privatização ou liquidação

Por Vanessa Rezende, Do Informe Franca

17/03/2021 | 5h58

O governo federal incluiu nesta terça-feira, 16, mais empresas na sua lista de desestatização.
São aquelas que serão privatizadas ou liquidadas, porque não geram lucros, e dão prejuízo a União.
Isso porque elas dependem do Orçamento para pagar pessoal, já que as receitas próprias não são suficientes para mantê-las ativa.

Nesse pacote está os Correios, que já tem a privatização sendo estudada há algum tempo, e que sim vai sair do papel.
A Eletrobrás é outra que deixará de existir em breve e será privatizada.

Agora entra nessa lista a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).
Criada no governo Lula em 2007, a marca é para criar conteúdos audiovisuais, e também mídia Online.
O site da empresa tem 9,2 milhões de acessos mensais registrados e a sua TV, chamada de TV Brasil é a 9ª TV mais assistida no país.
A promessa e privatizar ou liquidar (fechar) a empresa, era de campanha do Presidente Bolsonaro.
Ele chegou a dizer várias vezes que a EBC e a TV Brasil, não serviam para nada além de dar despesas.
Cobrado por apoiadores sobre a fala e a desestatização, resolveu agir.

A empresa tem 1880 empregados, sede principal em Brasília mas mais de 20 imóveis espalhados pelo país.
A marca tem um gasto anual de mais de 500 milhões dos quais, 389 são custeados pelo governo federal.
No ano passado, a EBC arrecadou 65 milhões.
O que quer dizer que, não fosse o aporte do governo a empresa teria um prejuízo milionário.

O BNDES contratou uma consultoria para fazer um estudo, e avaliar os impactos da desestatização da EBC.
Esse estudo deve apontar qual caminho a empresa irá seguir.
Ser privatizada, e vendida a alguma outra marca de comunicação,
ou fechar as portas e encerrar suas atividades.