Editorial – Morte de Winter é manifestação mais clara de genocídios de Bolsonaro

Do Informe Franca

16/03/2021 | 15h02

Nesta terça-feira, 16, o Portal Informe Franca perdeu, mais uma Jornalista vitimada por complicações pós Covid-19.
Aos 32 anos de idade e com uma vida toda pela frente, Carolina Winter deixou sua vida com uma série de sonhos por fazer,
e por culpa de um Presidente genocida.

Ontem a Polícia intimou um influenciador digital, por ter feito a afirmação.
Hoje, afirmamos mais uma vez sem a menor sombra de dúvidas que de fato, é isso que Jair Messias Bolsonaro é.

No ano passado quando teve Coronavírus, o Presidente entrou em uma sala lotada de jornalistas,
sem usar qualquer equipamento de proteção, revelou a todos que sim, havia contraído a doença.
Foi só depois das críticas que o gesto trouxe, que ele se isolou por alguns dias.
Bolsonaro não teve problemas mas outras pessoas sim.
Pelo menos 8 dos Jornalistas que estavam na sala, contraíram a Covid-19.
Duas delas do Portal.

Ester Marini morreu em outubro do ano passado, ainda no hospital, com Coronavírus.
Carolina Winter ficou entubada, voltou para casa mas as complicações existiram.

A Jornalista passou em janeiro por uma cirurgia no coração, provocada por conta de complicações pós Covid.
Aos 32 anos ela, que era saldável, apresentou problemas de saúde por um Presidente inconsequente e genocida.
Depois da operação, Carolina deixou de respirar sozinha e precisou de um oxigênio.
Foi só 2 meses depois de precisar dele que na semana passada, conseguiu na Justiça com que a União custeasse seu tratamento médico.
Um tratamento que ela precisa, de novo, por culpa de um Presidente inconsequente e genocida.

Jair Bolsonaro não se importou com Carolina,
com os jornalistas naquela sala,
assim como não se importa com os quase 300 mil mortos no Brasil pela Covid.
E pelos milhares de mortos, que falecem depois da Covid, desde o ano passado.
E que o Ministério da Saúde, se quer digna a notificar.

O Presidente só se importa consigo mesmo,
com os livramentos de seus familiares por conta dos crimes que cometem,
se importa em fazer crises e mais crises para afundar o Brasil.
Este foi o Capitão que elegemos em 2018, para afundar nosso navio.
Não pode de forma nem uma ser o que vamos reeleger em 2022.
É preciso duas coisas acontecerem agora, para se evitar isso.

A primeira, que Bolsonaro seja retirado de seu cargo.
O Impeachment é a única forma clara de conseguirmos passar por essa crise.
A segunda, que ele não seja candidato no ano que vem.
Outro talvez, com melhores condições de liderança seria capaz de levar o Brasil, ao patamar que necessitamos.
Precisamos levar a pandemia e o Brasil a sério,
não apenas a nossa economia mas todos os setores da nação.
Ou Carolina Winter vai ser apenas mais um número esquecido, que o Ministério se indigna a não notificar.
E os outros milhares, mais números e nada mais.

Vidas importam, elas tem que importar.
E nós temos o dever de denunciar o que precisa,
doa a quem doer.
O genocida que agora preside nosso país,
tem que ser levado aos tribunais, aqui e lá fora.
Vamos por fim, garantir que isso aconteça.