Saúde em colapso – Hospitais de SP tem internações recordes e leitos faltam até na rede privada

Por Lívia Tomazelli, Do Health Informe

São Paulo – 10/03/2021 | 20h50

O drama de pacientes no estado de São Paulo continua.
Nesta quarta-feira em novo dia de recordes, os hospitais registraram altos índices de internações e com vagas acima dos 90% da ocupação.
As situações mais dramáticas estão na capital paulista e no interior, e isso é o começo.
Os gestores dos hospitais acreditam que a pandemia vai piorar, se nada for feito nas próximas semanas.
E vai faltar sim leito no estado paulista para atender a pacientes que precisarem.
O risco cada vez maior, é que com o colapso os médicos tenham que começar a escolher, quem dá para salvar.
Um drama que foi vivenciado no ano passado na Itália, e em outros países da Europa, e que não demorará acontecer no Brasil.
A má gestão de governantes nesta pandemia é o reflexo do que acontece nos hospitais agora.
Isso inclue a rede privada de saúde também,
já que as cidades não tiveram ações suficientes para proteger as pessoas e fazer com que ficassem em isolamento social.
Os números falam por si só.

Nesta quarta-feira o Albert Einstein, teve acréscimo de 20% mais de pacientes que no mesmo período da semana passada.
Hoje foram 205 pacientes internados na unidade paulista do hospital.
Que tem 9104% de ocupação geral, 98% de oCovid.
Os números mostram que há fila de pacientes esperando para serem assistidos na unidade de saúde.
Por isso casos menos graves estão sendo atendidos pela telemedicina.
Só os graves são atendidos nas unidades físicas dos hospitais.
No Einstein, mais leitos devem ser abertos até o final de semana, para atender a todos os pacientes.

Com mais 210 pacientes internados hoje, o Sírio-Libanês é outro reflexo do drama em São Paulo.
O hospital tem ao todo, 519 pacientes hospitalizados e 95% de ocupação geral.
94% de Covid-19.
No hospital alemão Oswaldo Cruz, a ocupação é de 90%.
São 70 novos pacientes hospitalizados só na data de hoje, com a maior parte deles precisando de leitos de UTI.
No São Camilo, a unidade tem 100% de seus leitos ocupados, e mais devem ser abertos até na sexta-feira.

A rede Santa Clara Saúde, também referencia esse drama.
A unidade em São Paulo, tem seus 170 leitos hospitalares ocupados.
Foram abertos na segunda-feira, 30 novas unidades de leitos em outro prédio para o hospital, como atendimento temporário.
Mas esses leitos se esgotaram, menos de 24h depois de terem sido abertos.
Outros 15 leitos foram abertos de forma improvisada hoje, e também já foram tomados de pacientes.
A unidade de saúde não tem aceitado paciente de nem uma outra enfermidade, e tem nesse momento além de 100% de ocupação, 22 pacientes que esperam vagas em hospitais.
As vagas são aguardadas para hospitais particulares, que conversam entre si para dividir pacientes.
Hoje, pelo menos 6 pacientes de São Paulo, foram transferidos para outras unidades da clínica em outros estados do Brasil.
Em Porto Alegre, onde há 300 leitos disponíveis, os 300 leitos da rede estão ocupados.

A rede estadual também está sobrecarregada.
19 hospitais no estado tem 100% de ocupação na rede pública.
Outros estão com 90 ou 95% dessa capacidade tomada.
O que tem se transformado num drama.
A Central de Regulação de Vagas, Cros, tem 1930 pedidos de pessoas aguardando transferência segundo a Secretaria Estadual de Saúde.
Não existe vaga para todas elas ainda.