Exclusivo – 9,5 mil clientes da Claro tem celulares clonados no Brasil

Por Nathália Valle, Do Blog Nathatech

24/02/2021 | 6h02

A operadora de telefonia móvel Claro, ainda não respondeu as autoridades brasileiras, como dados de 45 milhões de clientes com contas ativas, vazaram na Web.
Eles fazem parte de um mega vazamento, confirmado há cerca de 15 dias, de 103 milhões de pessoas que acabaram tendo dados expostos.
Ficaram disponível para venda na Deep Web, informações como números de CPF, endereços, números de telefone, entre outros dados das pessoas com contas.
Nesse momento o vazamento afetou, apenas pessoas que tem telefones controle ou pós-pagos, das operadoras Claro e Vivo.
Mas não todos os clientes, apenas uma parte deles.

Agora a operadora terá que explicar um outro vazamento, que ainda não é mensurável.
Neste novo dado, os clientes com telefones de todas as esferas da companhia, podem ter sido expostos.
Não há informações concretas de números oficiais, mas apenas que, clientes Claro Controle, Conta e Pré, tiveram dados disponibilizados na Deep Web.
Os problemas para parte desses clientes já começaram.

9,5 mil clientes da Claro, tiveram seus números de telefones clonados para que pudessem ser usados em golpes por Hackers.
Não há identificação de quem está por trás do ataque.
Os números foram escolhidos de maneira aleatória.

Os criminosos digitais tiveram acesso aos dados das pessoas e conseguiram com isso, por os números em chips virgens, tomando-os de seus donos originais.
Usando uma frequência avançada de tecnologia, os chips nas mãos dos clientes não pararam de pegar totalmente.
Pode levar até 96h após a ativação da clonagem, para que o cliente perca totalmente seu chip.
Dados de aplicativos como Whatsapp e Telegram, poderiam eventualmente ser acessados pelos criminosos, se a pessoa não tiver a segurança adequada nos seus APPs.
Isso não acontece se, o cliente tiver verificação em duas etapas, ativa nos seus APPs.
Neste ataque os Hackers não conseguem ver seus dados ou senhas, digitadas em aplicativos como Telegram ou Whatsapp.
A clonagem é da linha e não um ataque direto ao celular, portanto os clientes não precisam se preocupar.
Mas todos, terão o transtorno de ter que comprar um novo chip.
Como o número foi clonado, não será possível resgatar em um chip virgem o número antigo,
o que fará com que as pessoas, tenham que adquirir linhas novas com números novos.

A clonagem foi descoberta nesta terça-feira, pelo Jornalista Guilherme Kalel, do Portal Informe Franca.
Depois de avisar a Equipe de seu Site, a programadora Lara Purochenco conseguiu dados que comprovam que 9,5 mil clientes tiveram números clonados nas últimas 48h no Brasil.
O levantamento da programadora foi além, e identificou que São Paulo, teve a maior parte das clonagens.
6 mil pessoas tiveram chips clonados entre os DDs 11 a 19, que compreendem todo o estado.
Rio Grande do Sul, teve 1800 clonagens registradas.
O Paraná, teve 650 números clonados.
O restante, estão divididos nos demais estados brasileiros.

O Blog Nathatech, entrou em contato com a Claro para saber a posição da Tele sobre o ocorrido.
A empresa não se manifestou, mas o espaço permanece aberto para publicações.