RS impõe novas medidas de restrição social em meio ao contágio crescente da Covid-19

Por Lívia Tomazelli, Do Health Informe

21/02/2021 | 7h

O governo do Rio Grande do Sul, endureceu na semana passada, as regras de flexibilização de quarentena para todo o estado.
A medida foi justificada pelo governador, Eduardo Leite, como necessária para conter a nova leva de contaminações que assola os gaúchos.
Entre os meses de julho e novembro, quando verificaram-se altas nos casos no Brasil nos considerados picos da pandemia, o estado internava cerca de 70 pessoas por dia.
Hoje, em uma nova alta esses números saltaram para 200 novas internações a cada dia.
Essa alta vem sendo observada desde janeiro, após as festas de fim de ano, e se tornou mais acentuada pós carnaval.

Como o estado não possue uma estrutura de saúde capaz de atender muita gente se entrar em colapso, as medidas de agora são justamente para se evitar que um aconteça, destacou o governador.
Para conter o avanço da Covid-19, entre as medidas decretadas estão um toque de recolher no estado.
Ninguém pode, exceto em casos de saúde, circular nas ruas a pós as 22h todos os dias da semana.
O toque se estende até as 5 da manhã.

O Rio Grande do Sul era um dos estados que menos registrava índices da doença, graças a uma política adotada pelo governo, e a conscientização das pessoas.
Mas, nos últimos 2 meses os números foram crescendo no estado gaúcho, reflexo do que ocorreu no restante do Brasil.
Hoje, o RS está entre os 10 estados que mais possuem casos e mortes da doença.