Câmara mantém prisão de deputado Daniel Silveira

Por Carolina Winter, Do Informe Franca

Brasília – 20/02/2021 | 7h

A Câmara dos Deputados manteve nesta sexta-feira, 19, a prisão do deputado Daniel Silveira do PSL.
Aliado do Presidente Jair Bolsonaro, o político foi detido na terça-feira, 16, por ordem do Supremo Tribunal Federal.
O parlamentar gravou um vídeo com ataques feitos ao STF, a seus Ministros, e pedindo a edição de um novo AI-5.

As falas são um atentado a democracia e por isso, foram tratadas com medidas tão enérgicas.
O parlamentar já é investigado, em participar de atos antidemocráticos no ano passado.
Ele é apontado como um dos mais leais ao Presidente Bolsonaro e sua linha de ideologia na Câmara.

Ao analisar o caso, os parlamentares entenderam que críticas podem ser feitas por qualquer pessoa,
mas elas precisam ser de forma contundente.
Ninguém pode violar a liberdade de expressão, para ofender ou ameaçar outrem.
O parlamentar ficará preso e aliados ameaçam ir a Corte Interamericana de Direitos para tentar solta-lo.
O que seria pouco provável de acontecer a depender do método usado para a análise.
O parlamentar será investigado pelo Ministério Público, e ficará detido agora.
Na quarta-feira, 17, o STF determinou a manutenção de sua prisão por unanimidade.
O que significa que nem um Ministro da Corte o daria Habeas Corpus.

Antes de ter a prisão mantida, o deputado falou em sua defesa por vídeo na Câmara.
Ele pediu que os colegas tomassem cuidado ao votar, e pediu desculpas.
Disse ainda que todos, deputados, senadores, ministros, e outras autoridades ou pessoas, cometem em suas falas exageros as vezes.
E pediu que tivesse sua liberdade autorizada.

Depois, a relatora do caso na Câmara, destacou que a prisão não poderia ser afrouxada, e que o parlamentar já tem históricos de ataques nada contundentes a democracia.
Por 364 votos a favor e 130 contra, a sua prisão foi mantida.
Haviam 497 parlamentares presentes na votação, dos 513 existentes.
E deste total, apenas 3 se abstiveram de votar.