Bolsonaro indica novo Presidente para a Petrobras

Por Luara Pecker, Do Informe Franca

20/02/2021 | 7h

Em meio a um clima de tensão por conta da alta nos preços dos combustíveis, numa política adotada que segue o mercado internacional,
a Petrobras passará por mudanças, como afirmou na quinta, 18, o Presidente Jair Bolsonaro.
O atual Presidente da companhia, Roberto Castello Branco, deixará o seu cargo nos próximos dias.
Bolsonaro escolheu como seu substituto, o General Joaquim Silva e Luna,
que trabalhou no governo Michel Temer, e que em seu governo é chefe da Usina de Itaipu.
Luna, atuou como Ministro da Defesa de Temer e teve atuações elogiáveis.

A fala foi dita pelo próprio Bolsonaro, nesta sexta-feira.
Agora ele vai assumir o comando da Petrobras, com o objetivo não de interferir, mas de dar previsibilidade nos aumentos da estatal.
Muitos especialistas em economia, viram o ato de substituição como uma interferência do Presidente na empresa.
Ele diz que não é.
Mas o fato é que, Bolsonaro já não vinha tendo boa relação com Castello Branco há um tempo.

O Presidente da companhia chegou ao cargo na estatal, por indicação do Ministro da Economia Paulo Guedes.
Castello Branco esteve no comando desde o começo do governo Bolsonaro.
O mercado reagiu a decisão da troca de comando da empresa.
As ações da Petrobras operavam em queda de 7% no final do dia.
A expectativa é que na segunda, esses efeitos sejam mais sentidos e que então, essa queda seja mais acentuada.

Para ser efetivado no cargo de Presidente, não basta apenas a indicação de Jair Bolsonaro.
O nome do General Joaquim Silva e Luna, precisa ser apoiado e aprovado pelo Conselho de Administração da Petrobras.
Nesse momento o Conselho apoia majoritariamente o Presidente Castello Branco, que teria seu mandato afrente da empresa encerrado em março deste ano, podendo ser prorrogado.
Nesse caso se Bolsonaro não conseguir a aprovação, ele pode destituir o Conselho formando um novo.